Junho lilás: momento de respeito e valorização ao idoso

Data incentiva reflexão e posicionamento diante do assunto.

Hoje, 15 de junho, é celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. A data foi oficializada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2011, mas já era comemorada pela Rede Internacional de Prevenção ao Abuso de Idosos (INPEA) desde junho de 2006. O dia foi criado para expandir a reflexão e manifestar sua oposição aos abusos e sofrimentos infligidos a algumas de nossas gerações mais velhas.

Segundo dados da Divisão da População da ONU, a população acima dos 60 anos já representa 1.1 bilhão mundialmente, enquanto no Brasil o número chega a 29.9 milhões. A projeção é que, em 2100, sejam 74.4 milhões de idosos brasileiros.

Violência contra a pessoa idosa, conforme descrito pelo Ministério da Saúde, pode ser definida como “um ato único, repetido ou a falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança que cause dano ou sofrimento a uma pessoa idosa”.

O Disque 100, maior canal de denúncias no Brasil, informou que em  2019, 48.446 foram referentes às pessoas idosas, cerca de 30% do número total. Dentre os principais tipos exercidos, a violência por negligência é a mais comum (41%), seguida por violência psicológica (24%), abuso financeiro (20%), violência física (12%) e violência institucional (2%). Para acessar o relatório completo, é só clicar aqui.

A pandemia de Coronavírus também está afetando o modo pelo qual as pessoas enxergam os mais velhos. O Ministério da Saúde também citou uma fala do secretário geral das Nações Unidas sobre esse momento:

“A pandemia do COVID-19 está causando medo e sofrimento incalculáveis ​​para as pessoas idosas em todo o mundo. Além de seu impacto imediato na saúde, a pandemia está colocando as pessoas mais velhas em maior risco de pobreza, discriminação e isolamento. É provável que tenha um impacto particularmente devastador sobre as pessoas idosas nos países em desenvolvimento. Os idosos têm os mesmos direitos à vida e à saúde que todos os outros. As decisões difíceis em torno dos cuidados médicos que salvam vidas devem respeitar os direitos humanos e a dignidade de todos”.

Durante todo o mês de junho a campanha Junho Lilás é divulgada em prol da valorização e combate à violência contra a pessoa idosa. Se estiver passando por alguma situação de violência ou ficou sabendo de algum caso, não hesite em utilizar os principais canais de apoio:

– unidades municipais de saúde;

– delegacias;

– Disque 100 (Direitos Humanos);

– 190: Policia Militar (para situações de risco eminente)

Fonte: Ministério da Saúde, Disque 100.

12 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *